Página Inicial / Especial / [Especial] Filmes com temática gay (Parte 1)

[Especial] Filmes com temática gay (Parte 1)

Quer assistir filmes que mostrem nossa realidade? Confira nossa lista de filmes com temática gay!

Fizemos uma lista dos filmes mais relevantes sobre o universo gay para você. Já esclareço que os filmes escolhidos não estão em ordem de qualidade, mas conforme foram lembrados. Alguns filmes não entraram na lista, por não abordarem o tema homossexualidade masculina, apesar de serem ótimos filmes (por exemplo, Transamérica, Azul é a cor mais quente, Tomboy, etc). Como são vários filmes, dividimos a lista em três partes, então se aquele filme que você gostou não apareceu nesta primeira parte, provavelmente aparecerá nas próximas.

Orgulho e Esperança (Pride) – 2014

Categoria: Drama/Comédia

No ano de 1984, Margaret Tatcher está no poder e os mineiros estão em greve. Depois do “orgulho gay” chegar a Londres, um grupo de ativistas gays e lésbicas decide arrecadar dinheiro para enviar às famílias dos mineiros. Mas a União Nacional dos Mineiros parece um pouco constrangida em receber esta ajuda. Os ativistas não perdem o ânimo, decidem entregar a doação pessoalmente e partem em direção ao País de Gales. Assim começa a história improvável de dois grupos que não tinham nenhuma relação, mas se uniram em prol de uma causa. O filme passa uma linda mensagem sobre o PRÉ-conceito concebido pela falta de informação e as fantasias criadas pelos heterossexuais da comunidade conservadora em relação aos gays da época. Um ótimo elenco, destaque para os veteranos Imelda Staunton (a eterna Dolores de HP) e Bill Nighy.

The Normal Heart – 2014

Categoria: Drama

Uma doença misteriosa se alastra pelos EUA, com alto grau de mortalidade: cerca de 50% dos infectados acabam falecendo. Como a imensa maioria é homossexual, ela logo é apelidada de “câncer gay” e, por preconceito, não recebe a devida atenção do governo norte-americano. Decidido a fazer com que as pessoas tomem conhecido sobre a epidemia causada pela AIDS, o escritor Ned Weeks (Mark Ruffalo) decide ir aos diversos veículos de comunicação para falar sobre o tema. Entretanto, a raiva contida em suas declarações assustam até mesmo seus colegas na organização não-governamental que presta auxílio aos infectados. Ao seu lado, Ned conta apenas com o apoio da médica Emma Brokner (Julia Roberts), que também está alarmada com a gravidade da situação. A história mostra a luta dos gays da época para ter um dos direitos básicos atendido, que é o direito à saúde. A atuação de Ruffalo e Matt Bommer estão excelentes. O drama foi produzido pela HBO em formato de telefilme, ou seja, direto para a TV.

Além da fronteira (Out in the dark) – 2013

Categoria: Drama

Nimer, um estudante palestino, e Roy (Michael Aloni), um advogado israelense, apaixonam-se desde a primeira vez em que se encontram. À medida que a relação dos dois se desenvolve, Nimer (Nicholas Jacob) tem que lidar com sua família conservadora e com sua condição de palestino morando em Israel. A situação piora quando um amigo próximo é capturado em Tel Aviv e assassinado na Cisjordânia. Um dos filmes mais lindos desta lista. O filme mostra como a homossexualidade é tratada em países que possuem uma cultura bem diferente da nossa. Algo bem interessante que o filme traz a reflexão sobre a violência que gays muitas vezes enfrentam, não só em relação a sua orientação sexual, mas também pelo fato de não poderem  conviver com aqueles que amam, pelo simples fato de terem nascido do outro lado de uma fronteira.

https://www.youtube.com/watch?v=gaegZ5rz6Ww

MILK: A voz da igualdade (MILK) – 2008

Categoria: Drama

O meu queridinho. Início da década de 70. Harvey Milk (Sean Penn) é um nova-iorquino que, para mudar de vida, decidiu morar com seu namorado Scott (James Franco) em San Francisco, onde abriram uma pequena loja de revelação fotográfica. Disposto a enfrentar a violência e o preconceito da época, Milk busca direitos iguais e oportunidades para todos, sem discriminação sexual. Com a colaboração de amigos e voluntários (não necessariamente homossexuais), Milk entra numa intensa batalha política e consegue ser eleito para o Quadro de Supervisor da cidade de San Francisco em 1977, tornando-se o primeiro gay assumido a alcançar um cargo público de importância nos Estados Unidos. Baseado em fatos reais, mostra como a luta pelos direitos dos gays já foi algo mais grandioso e independente, apesar de cobrar um alto preço. Sean Penn ficou a cara do Milk e sua interpretação emociona.

De repente, Califórnia (Shelter) – 2007

Categoria: Romance/Drama

Um filme que me causou um conflito. Ao mesmo tempo em que traz uma linda história de amor, possui também uma atmosfera demasiadamente idealizada. Zach (Trevor Wright) é um rapaz que, desde de que foi forçado a largar seu sonho de estudar artes, coloca as necessidades dos outros acima das suas e por isso passa seus dias trabalhando em um emprego sem futuro e ajudando sua irmã mais velha, Jeanne (Tina Holmes) e seu sobrinho Cody (Jackson Wurth). Em seu limitado tempo livre, ele surfa, desenha e aprecia a companhia do seu amigo Gabe (Ross Thomas). Quando o irmão de Gabe, Shaun (Brad Rowe), retorna à cidade, é atraído pelo altruísmo e talento de Zach e, assim, os dois iniciam um relacionamento íntimo e verdadeiro. Shaun incentiva Zach a dar rumo à sua vida e a investir nas suas artes. Zach, porém, entra em conflito com sua própria identidade, tendo que conciliar seus próprios desejos e necessidades com os de sua família e amigos, enquanto tenta compreender os sentimentos que tem por Shaun. Os atores são lindos e traz uma ótima reflexão sobre o significado de um tema atual: família.

Deixe a luz acesa (Keep the lights on) – 2012

Categoria: Drama

Esse filme é uma porrada no estômago. Na Nova York de 1997, o documentarista Erik (Thure Lindhardt) conhece o advogado Paul (Zachary Booth). O que a princípio poderia ser apenas um encontro sexual se transforma em algo muito mais sério, um relacionamento de 10 anos. Paul não assume publicamente que é gay, preocupado com a carreira, já Erik é intenso e destemido. A relação amorosa deles dois vai se tornando instável à medida que eles têm que lidar com seus vícios e compulsões e confrontar seus próprios limites. Um filme sincero, que aborda promiscuidade, álcool, drogas e conflitos que surgem em um relacionamento gay.

Hoje eu quero voltar sozinho – 2014

Categoria: Romance/Drama

Tive a oportunidade de assistir este filme na pré-estreia, com a presença do ator principal, Ghilherme Lobo, e o diretor (fofo e fantástico), Daniel Ribeiro. Leonardo (Ghilherme Lobo), um adolescente cego, tenta lidar com a mãe superprotetora ao mesmo tempo em que busca sua independência. Quando Gabriel (Fabio Audi) chega à cidade, novos sentimentos começam a surgir em Leonardo, fazendo com que ele descubra mais sobre si mesmo e sua sexualidade. Um filme sensível, que mostra o amor de forma mais pura e sublime. O amor está além do que se vê. O filme foi um marco para a representatividade gay no Brasil, pois abocanhou diversos prêmios dentro e fora do país e quase concorreu ao Oscar de filme estrangeiro.

Contra Corrente (Contracorriente) – 2011

Categoria: Drama/Romance

Miguel (Cristian Mercado) é um pescador respeitado na vila onde mora e trabalha. Casado com Mariela (Tatiana Astengo), está prestes a ganhar o primeiro filho, mas ele vive um romance com Santiago (Manolo Cardona), artista chamado pelos moradores de Príncipe Encantado. O tempo passa, a hora da verdade está chegando e Mariela começa a questionar Miguel, que precisará decidir sobre sua sexualidade. Um filme peruano, ganhador de vários prêmios e que aborda o tema da luta interior, entre viver seus desejos livremente e encarar o conservadorismo e a discriminação da sociedade, ou reprimir-se para não encarar a dificuldade de se assumir.

Queda Livre (Freier Fall) – 2013

Categoria: Drama

Marc (Hanno Koffler) é um recém-admitido na equipe de treinamento para se tornar um policial. Até o momento em que conhece Kay (Max Riemelt), um colega de quarto do campo de treinamento. Em meio aos exercícios de corrida, Marc experimenta uma sensação fácil e sem esforço nunca sentida antes, se apaixonar por um homem. Dividido entre sua família, uma esposa grávida e sua paixão pelo colega, sua vida sai do seu controle até ele perceber que não pode fazer todos felizes. Um enredo interessante, mostrando a realidade de assumir-se gay dentro de um grupo mais “duro” como a polícia (apesar de não ser a mesma realidade da polícia brasileira). O filme lembra bastante Contra Corrente, mas nem por isso deixa de ter seus méritos. Legal ver Max Riemelt depois em Sense8, que com certeza ganhou o papel do tromba Wolfgang a partir deste filme.

Pecado da carne (Einaym Pkuhot) – 2009

Categoria: Drama

Aaron Fleishman (Zohar Shtrauss), pai de quatro filhos e administrador do negócio da família, um açougue kosher herdado após a morte do pai e que vive em Meah Shearim, bairro ultra-ortodoxo de Jerusalém. Aaron leva uma vida bastante regrada, o que muda ao conhecer o estudante Ezri (Ran Danker). Os dois passam cada vez mais tempo juntos, o que faz com que Aaron seja discriminado pela comunidade local. Um dos filmes gays mais profundos que já tive a oportunidade de ver, pois aborda a questão da fé e da sexualidade. Neste filme temos um pouco da noção de como a homossexualidade possui um fardo muito maior quando o homem nasce sob uma cultura religiosa superconservadora. E como a homofobia se manifesta diferentemente de um povo para o outro.

Esta foi a primeira parte da lista. Já assistiu todos estes? Então deixe sua opinião nos comentários. Não viu ainda? Então pega a pipoca e assista!

Sobre Michel Furquim

Psicólogo, pós-graduando em Sexualidade Humana.
Curioso e pesquisador nas áreas de sexualidade e relacionamentos. Aficionado pelo universo nerd, em especial HQs e Mangás.

Veja Também

Especial|Justiceiro no cinema

Antes da bem sucedida aparição em Demolidor, Frank Castle já havia ganhado três adaptações cinematográficas. …