Página Inicial / Resenha e Crítica / Crítica - Filme / Crítica|Deadpool – ou A Redenção de Ryan Reynolds

Crítica|Deadpool – ou A Redenção de Ryan Reynolds

Poucos atores são tão azarados quanto Ryan Reynolds.

Gosto muito de assistir filmes e, sinceramente, até hoje não vi nenhum filme com Ryan Reynolds que valesse a pena. Até hoje. Ryan já participou de uns filmes independentes (sofríveis, diga-se de passagem), do inesquecível Lanterna Verde e, o mais memorável, X-Men Origens: Wolverine. Acho que é o único que conseguiu realizar um fiasco com um personagem da DC e um personagem da Marvel.

Como forma de se redimir, Ryan, os roteiristas Rhett Reese e Paul Wernick e o diretor Tim Miller fizeram um trailer-teste que viralizou na net e conquistou os fãs de DeadPool. Isso deu carta branca para a Fox autorizar a produção do filme. A segunda chance para Ryan Reynolds se mostrou uma escolha acertada dos estúdios, afinal o filme já arrecadou US$ 12 milhões no seu primeiro dia de estreia, e a FOX espera atingir US$ 65 milhões no final de semana do Valentine’s Day.

Este é o primeiro filme com algum personagem da Marvel que não é para crianças (ouvi um aleluia?), mas também não é um filme para “adultos”.  Tem palavrão, sangue, nudez e piadas (muitas mesmo, tanto que terei que assistir novamente para conseguir captar todas), mas é um filme para aquela “gente grande” que não se considera adulto.

DeadPool não é um super-herói. Também não é um herói. Ele é apenas super. O próprio personagem deixa isso claro no filme, e talvez isso faça toda a diferença. Wade Wilson não está em uma cruzada por algo nobre ou para salvar o mundo. Ele é apenas um cara em um traje vermelho em busca de vingança. Nada mais. Nos quadrinhos não é muito diferente. Mesmo tendo algumas missões um pouco absurdas para os quais o tagarela escarlate é convocado, nenhuma história é muito relevante.

Um dos motivos de nunca ter gostado das HQs do DeadPool é justamente por este motivo, ele não é um herói e nas suas histórias não há sagas ou tramas que necessitem de muita reflexão. No entanto, isso funciona perfeitamente no cinema! Um filme para diversão. Não é um filme que fale de heroísmo, justiça, trabalho em equipe.

É um filme de ação, comédia e risadas o tempo todo. Impossível não soltar uma gargalhada em algum momento.

Deadpool3

Ryan Reynolds rouba a cena e às vezes fica difícil diferenciar o ator do personagem. Mas os coadjuvantes não deixam a desejar, especialmente as mulheres. As quatro personagens femininas deixam suas marcas na história. Morena Baccarin (nossa eterna Jessica Brody) dá um show de carisma. E quem diria que até Gina Carano (uma lutadora de MMA) se sairia como uma boa mutante? Angel Dust e Negasonic Adolescente (!) botam pra quebrar, literalmente.

Zoinks!

O filme aproveita para se vingar do seu “predecessor” e sobram hilárias piadas para nosso Hugh Jackman e X-Men Origens: Wolverine. As piadas externas são o trunfo do filme, desde James Mcavoy até o próprio estúdio FOX. Nada é poupado. Para nossa alegria.

Deadpool4

Algo muito divertido no filme é como Ryan Reynolds brinca com a sexualidade do personagem, apesar de bem escrachada, DeadPool mostra algumas cenas que tiram um sorriso amarelo dos fãs héteros que tenham algum tipo de preconceito. Afinal, DeadPool não tem limites, quanto mais em relação ao sexo.

Os estúdios FOX já autorizaram a realização de DeadPool 2, com os mesmos roteiristas e com Ryan Reynolds. Mas apesar de toda a graça e genialidade nas piadas, Wade Wilson precisará de muito mais (ou de alguém) para sua sequência, afinal uma piada não tem a mesma graça duas vezes. Apesar de que o próprio DeadPool já deixa uma dica na cena pós-créditos de um reforço poderoso para o próximo longa. Vamos esperar!

E você? Já viu DeadPool? O que achou?

 

Poucos atores são tão azarados quanto Ryan Reynolds. Gosto muito de assistir filmes e, sinceramente, até hoje não vi nenhum filme com Ryan Reynolds que valesse a pena. Até hoje. Ryan já participou de uns filmes independentes (sofríveis, diga-se de passagem), do inesquecível Lanterna Verde e, o mais memorável, X-Men Origens: Wolverine. Acho que é o único que conseguiu realizar um fiasco com um personagem da DC e um personagem da Marvel. Como forma de se redimir, Ryan, os roteiristas Rhett Reese e Paul Wernick e o diretor Tim Miller fizeram um trailer-teste que viralizou na net e conquistou os…

Deadpool

Filme

Nota

Algo muito divertido no filme é como Ryan Reynolds brinca com a sexualidade do personagem, apesar de bem escrachada, DeadPool mostra algumas cenas que tiram um sorriso amarelo dos fãs héteros que tenham algum tipo de preconceito. Afinal, DeadPool não tem limites, quanto mais em relação ao sexo.

User Rating: Be the first one !

Sobre Michel Furquim

Psicólogo, pós-graduando em Sexualidade Humana. Curioso e pesquisador nas áreas de sexualidade e relacionamentos. Aficionado pelo universo nerd, em especial HQs e Mangás.

Veja Também

Crítica|Planeta dos Macacos: A Guerra

Planeta dos Macacos: A Guerra é o terceiro filme do reboot inspirado na franquia iniciada …