Página Inicial / Resenha e Crítica / Crítica - Quadrinhos / Crítica|Miles Morales – O Homem-Aranha Ultimate

Crítica|Miles Morales – O Homem-Aranha Ultimate

Já fazia tempo que eu via a galera comentando sobre esse tal de Miles Morales nas internet’s e um dos maiores motivos para eu voltar a ler historias em quadrinhos foi ele.

Eu iniciei minha leitura pelo Ultimate Comics Spider-Man que foi lançado em 2011 e no começo estranhei toda aquela esfera adolescente com um Peter Parker do ensino médio e um Miles Morales com 13 anos, mas eu aceitei esse fato quando comecei a perceber que a história não tratava apenas de um Homem-Aranha negro, mas sim de um garoto negro, morador do subúrbio, que tem conflitos familiares e se vê obrigado a lidar com o fato de ser a nova versão de um dos maiores heróis da história. Mesmo com toda a coisa adolescente rolando a trama ainda consegue ser densa e mostra algumas realidades que muitos podem se identificar, como por exemplo quando, logo no inicio da historia, Miles é levado pelos seus pais para um sorteio onde ele pode ser escolhido para estudar numa das melhores escolas da cidade já que eles não tem condições de pagar seus estudos numa “boa escola”.

E a premissa ainda é a mesma, um jovem picado por uma aranha geneticamente modificada e que ganha superpoderes que lhe trarão grandes responsabilidades e um senso de humor que nos faz sorrir quando ele solta suas piadas. A diferença é que existe todo um legado que veio antes do jovem Miles e ele se questiona quase a todo o tempo sobre o seu papel como Homem-Aranha e sobre o que o Peter Parker faria em determinada situação, eu fui capaz de sentir nos meus ombros o peso que seria assumir toda essa responsabilidade e como seria lidar com ela, principalmente quando se é abordado pela Mulher Aranha e levado até o quartel general da S.H.I.E.L.D.

É interessante ver o comportamento do novo Homem Aranha quando ele lida com os grandes heróis e como ele se comporta diante desses ícones, isso sem contar a tia May, Gwen Stacy e Mary Jane. Imagina a pressão? Além de tudo isso Miles ainda de se vê obrigado a lidar com o conflito entre seu pai e o tio criminoso que tenta fazer toda uma pressão psicológica para que ambos lutem lado a lado. Depois do arco do tio vem o Venom que aparece para trazer um dos primeiros grandes desafios e aquele momento trágico na vida dos aranhas, aquele momento triste em que ele desiste de tudo e somos agraciados com uma capa onde o uniforme esta no lixo enquanto  nosso herói vai embora.

E eis que depois de lidar com toda essa carga que é ser o Homem Aranha a historia finalmente começa a parecer se desenvolver nos apresentando Manto, Adaga e Granada que, de alguma forma, estão ligados ao nosso querido Peter Parker e seus pais, mas independente disso somos levados a crer que a partir dali será formada uma nova equipe e é a partir desse momento, ao ver aquele chefe da super corporação pendurado e confessando todos seus crimes eu percebi que estava preso a muitos clichês, mas mesmo assim eu resolvi continuar.

ecbbdf98-07f6-4c67-aa4b-3591095a0b7f

Antes de iniciar o Miles Morales: Ultimate Spider-Man eu já sabia que a morte não é definitiva nos quadrinhos, mas eu gosto de me enganar e realmente acreditei que o Peter estava morto, por esse motivo quando ele apareceu eu fiquei surpreso e quase chorei por causa de toda a comoção causada pelo seu falecimento nas edições anteriores do Miles Morales.

Claro que o mistério sobre o retorno parou de ser importante no instante em que as coisas começaram a ficar realmente serias, Norman Osborn estava de volta e o nosso querido Miles estava lutando contra ele no mesmo local em que o Homem Aranha Original morreu depois de derrotar o seu maior vilão. Achou pouco? Em meio a todo babado, confusão e gritaria o Homem Aranha original surge para lutar ao lado do seu sucessor, dando assim um fim a a discussão das edições anteriores e iniciando toda uma comoção na mídia que estava transmitindo o encontro entre os Aranhas.

Por que eu indico?

Por muito tempo eu achei que o Miles Morales fosse só mais uma forma da editora atrair um novo publico com um personagem polemico e uma história qualquer, mas ao ler os quadrinhos fui aos poucos percebendo que o personagem é mais do que uma simples estrategia de Marketing, além disso ele foi trabalhado, foi aprofundado e existem muito mais detalhes do que esses ditos por mim capazes de fazer as pessoas se identificarem e se sentirem representadas.

É claro que existem referencias aos personagens clássicos apenas para chamar a atenção e agradar os fãs mais antigos da Marvel, mas ainda assim estamos falando não de um Peter Parker que ficou negro, estamos falando do Miles Morales, um personagem negro carregado com toda uma historia “separada” do Peter que está dando continuidade ao legado de um dos super heróis mais aclamados da Marvel.

Além de toda a questão racial a  amizade entre Miles e seu amigo Ganke também é muito interessante justamente pelo fato deles serem tão unidos que as pessoas ao seu redor consideram a possibilidade de eles terem um relacionamento homossexual, mas a sua relação é maior que isso, ambos são tão amigos ao ponto de o fato das pessoas acharem que eles são gays pouco importa, tanto que eles até tiram sarro disso  de uma forma totalmente natural e sem envolver qualquer tipo de preconceito enviando beijos, se abraçando e fazendo declarações de amor um para o outro, mostrando que declarar e demonstrar afeição por pessoas do mesmo sexo não define por que gênero você se atrai.

Você, homem branco, cis, e heterossexual talvez não perceba a importância desse  personagem por que você já tem Steven Rogers, Tony Stark, Matthew Murdock, Thor e toda uma linha de heróis que te representam nas principais historias da Marvel, portanto ter um herói como Miles Morales entre os Supremos é um ganho e tanto, mas nós ainda queremos mais.

Lidas as 29 edições do Ultimate Comics Spider-Man e 12 edições do Miles Morales: Ultimate Spider-Man.

Já fazia tempo que eu via a galera comentando sobre esse tal de Miles Morales nas internet's e um dos maiores motivos para eu voltar a ler historias em quadrinhos foi ele. Eu iniciei minha leitura pelo Ultimate Comics Spider-Man que foi lançado em 2011 e no começo estranhei toda aquela esfera adolescente com um Peter Parker do ensino médio e um Miles Morales com 13 anos, mas eu aceitei esse fato quando comecei a perceber que a história não tratava apenas de um Homem-Aranha negro, mas sim de um garoto negro, morador do subúrbio, que tem conflitos familiares e se…

Homem Aranha Ultimate - Miles Morales

Histórias em Quadrinhos

Nota

Ter um herói como Miles Morales entre os Supremos é um ganho e tanto, mas nós ainda queremos mais.

User Rating: 4.7 ( 1 votes)

Sobre Angresson da Silva

Nascido em 88, ariano, meio diferentão devido ao ascendente em aquário e que adora conhecer novos animes, mangás, HQ's, jogos, filmes e séries, sempre se preocupando com a representatividade em todas essas mídias. Ainda não formado, mas gosta de escrever suas opiniões e se auto intitula um Nerd Fajuto por não se identificar com os padrões de muitos Nerds.

Veja Também

Crítica|Linn da Quebrada – Pajubá (2017)

Bicha, trans, preta e periférica. Nem ator, nem atriz, atroz. Bailarinx, performer e terrorista de …

  • Tieser Centeno

    “de um garoto negro, morador do subúrbio, que tem conflitos familiares” em outras palavras, a vida de um cara normal de 13 anos… só que também é a vida do Novo Homem-Aranha!! *_* 🙂 😀 :)))