Página Inicial / Resenha e Crítica / Crítica - Filme / Crítica|Batman Vs Superman: A Origem da Justiça

Crítica|Batman Vs Superman: A Origem da Justiça

O universo cinematográfico estendido dos super-heróis da DC Comics teve início!

Antes de começar, gostaria de deixar claro que não sou um crítico especializado em cinema. Sou um fã. Um nerd. Por isso, irão me perdoar caso não faça críticas sobre o roteiro e qualquer outra balela que seria analisada por uma academia com a “alta cúpula” de críticos.

Batman Vs Superman é para os fãs. Fãs de Batman, Superman, Mulher-Maravilha, DC Comics. Após sair da terceira sessão do cinema, ainda me senti maravilhado com tudo que assisti e emocionado. Mas isso porque sou fã de carteirinha da DC Comics e acompanho esses heróis há mais de 20 anos. Imaginem como é ver nas telonas seus heróis de infância, aqueles que lia semanalmente (muito antes das animações da Liga da Justiça que muita gente acompanhou no SBT).

Em julho de 2013, tivemos o anúncio na SDCC da continuação de Homem de Aço com a participação de Batman. Quase 3 anos se passaram, muitos trailers divulgados, muitas especulações, mas finalmente o filme foi lançado. Batman V Superman: A Origem da Justiça chegou com a incumbência de dar o pontapé inicial para a expansão do universo DC nas telonas, inserindo o grupo de super-heróis mais antigo das HQs.

Superman já apareceu nas telonas 6 vezes, Batman já deu as caras no cinema 8 vezes, mas esta é a primeira vez que os heróis mais importantes das histórias em quadrinhos aparecem juntos no universo cinematográfico da DC Comics. Kal-El e Bruce Wayne tiveram inúmeros crossovers nas HQs e nas animações e ver isso adaptado para as telonas é magnífico.

A história é continuação direta do filme Homem de Aço e se passa após os eventos em Metrópolis. A luta contra os kriptonianos deixou muita destruição tanto na cidade, como nas almas das pessoas. Este é o ponto de partida para o enredo do filme, onde a onipotência do Superman é vista por alguns como esperança, mas por outros como ameaça. E obviamente, alguns tentarão tirar proveito deste medo latente.

Algo surpreendente é o início do filme, onde podemos acompanhar as consequências da luta entre o Superman e Zod, mas do ponto de vista dos humanos, meros mortais. Aqui podemos compreender a sensação de impotência que faz com que Bruce Wayne passe a se preocupar com todo o poder do alien que agora vive entre nós. Esta preocupação gera medo, e o medo, como sempre, gera raiva.

Como pudemos ver na HQ pré BvS (que comentamos AQUI ) , toda a tecnologia kriptoniana trazida pelo general Zod ainda está no meio de Metrópolis e é cobiçada por Lex Luthor.

Aliás, como já era esperado, Lex Luthor é o grande vilão da história, agindo nos bastidores que resultará no embate entre o Homem-Morcego e o Homem de Aço. Gal Gadot está poderosíssima, tanto nas cenas como Diana Prince, como nas lutas como Mulher-Maravilha. Henry Cavill parece estar mais confortável na pele do Superman, melhor que no filme anterior. Bem Affleck é um ator mediano, logo, seu Batman/Bruce Wayne não surpreendem, mas não deixam a desejar. Senadora Finch ficou ótima.

O filme é inspirado em duas histórias das mais importantes de Batman e do Superman. Do homem-morcego, Snyder se inspira em Cavaleiro das Trevas, obra de 1986 de Frank Miller. Esta HQ que deu fim a Era de Prata dos quadrinhos, dando início a Era Contemporânea onde os heróis deixaram de ser “coloridos” e se estabeleceram como uma mídia que poderia trazer temas adultos e violentos. Do Superman, a história em que se baseiam é A Morte do Super-Homem, um arco de 1993, onde Doomsday (Apocalypse) mata Kal-El numa luta épica em Metrópolis.

Obviamente, que há muitas outras referências e não apenas das HQs. É possível ver que utilizaram referências de um mercado onde a DC domina, os games. Injustice e os jogos de Arkham também estão no filme, um de forma escancarada e outro de forma mais sutil.

Acredito que o filme tenha alguns problemas (como qualquer outro). A fórmula de Zack Snyder já é conhecida pelos fãs de HQs (já dirigiu Watchmen – O filme e 300), tentando manter a fidelidade na adaptação da obra original, mesmo que para isso o ritmo do filme não surpreenda. Eu, particularmente, gosto disso. Li muita gente reclamando que BvS é “arrastado” e que as cenas de ação demoram para acontecer, mas é o mesmo tipo de crítica que li na época do lançamento do filme de Watchmen. Os fãs de filme de ação têm todo o direito de reclamar, lógico, mas já deveriam saber como são as obras deste diretor. Se não gosta, basta ir ver um filme do Michael Bay.

Outro tipo de crítica que muitos fizeram é de que há muito fanservice (uma palavra para referências à obra que serviu de inspiração, mas que não precisa ter serventia na história). Sério, gente? Um filme de HQs sem referências é tipo um filme pornô sem sexo (amei essa frase). Um filme inspirado em heróis com mais de 75 anos de história e queriam que não houvesse nenhuma referência? Achei que esse tipo de crítica é mais um recalque de quem correu pra comprar encadernados e quando assistiu o filme não entendeu a maior parte das referências.

O filme é um prólogo para Liga da Justiça, por este motivo é no mínimo injusto achar que Batman Vs Superman seria a obra-prima da DC nos cinemas. Não é. Acredito que seja uma boa etapa para Snyder e o elenco perceberem o que funcionou e o que não deve continuar nos próximos filmes.

O filme é bom, apesar de todas as críticas. Acredito que tenhamos ficado mal-acostumados com a trilogia de Nolan, e estávamos esperando uma obra no mesmo nível de profundidade, mas obviamente a DCCU não seguirá na mesma direção. Já tivemos filmes como Thor, Homem-Formiga, Homem de Ferro 3, que apesar de serem filmes ruins receberam ótimas “avaliações” pela crítica “especializada”. Batman Vs Superman não é um filme pra toda família, como a Marvel gosta de fazer.

Na terceira sessão que assisti (dublada), vi muita gente com crianças de 5 anos se levantarem e irem embora antes da metade do filme. Muitos desavisados ainda acreditam que heróis e quadrinhos são coisas de criança, mas nós fãs e nerds sabemos que não é bem assim. Disney é para crianças.

Sou fã da DC, mas também sou fã da Marvel e estou acostumado a ir nas pré-estreias dos filmes da MCU e algo que muito me incomoda são as adaptações pouco fiéis feitas para atrair o grande público. “Nossa, que chato, mas o filme não precisa ser feito só para fãs de HQs”. Concordo. Não precisa. Mas entenda que se o filme está nos cinemas hoje, é graças aos fãs dos quadrinhos que acompanham os gibis antes mesmo de muita gente saber quem era Frank Miller. Vejo muitas críticas vindas da “geração encadernados”, que vão em uma livraria genérica e compram aquela HQ mais recente para se sentir incluída no “mundo nerd” (que hoje é POP, mas já foi motivo de muita vergonha tempos atrás – sim, ler gibis no pátio da escola já foi motivo de muito bullying), mas que não fazem a mínima ideia do quão extenso é o universo das HQs.

Spoilers – Caso não tenha assistido o filme, pare por aqui

BvS Lex

Um dos grandes problemas neste filme é sem dúvida Lex Luthor. A atuação de Jesse Eisenberg está ok, mas fica claro que Snyder tentou criar um vilão insano e psicótico, que foge um pouco de como Lex é nas HQs. Luthor é megalomaníaco e é um gênio, e um dos motivos de ser o maior vilão do Super é por que ele tem inteligência para criar planos infalíveis e manipular a grande massa contra o kriptoniano. O Lex Luthor do filme deixa a desejar neste filme, com algumas falhas gigantescas.

Colocar KGBesta (um vilão do Batman) para matar Martha? Really? (Lembram do plano do Coringa de Nolan quando sequestrou Rachel e Dent? Mais genial que o Luthor). O provedor com TODOS os seus planos secretos e confidenciais fica ao lado da cozinha de sua mansão, protegida por uma porta de vidro, sem segurança? WHAT? E a história de que está fazendo tudo isso devido aos maus-tratos do papai? Não, não, não. Enfim, este Luthor merece ficar um bom tempo na cadeia aprendendo a ser um vilão de verdade.

BvS Diana

A Mulher-Maravilha é obviamente a melhor coisa do filme. A heroína mais importante das HQs, que é o símbolo do feminismo e de que HQs não é coisa só de “homem”, finalmente faz sua estreia nas telonas após mais de 70 anos. Gal Gadot se mostrou uma ótima escolha, apesar de muita gente ter criticado na época em que foi anunciada para o papel (aliás, cadê esse pessoal? Andam sumidas, né?) e mostra que desde Lynda Carter, a personagem só ganhou mais fãs. Tudo que Supergirl anda fazendo (de forma adorável) na série Diana Prince já faz há décadas e ainda assim não teve o cuidado que merecia até aqui. Acredito que tudo irá mudar com o filme que será lançado em 2017.

Apesar da participação épica da Mulher-Maravilha no filme, achei pequena. Por algum motivo, Diana deixa claro que não gostaria de se expor para a humanidade (talvez para proteger Temiscira), por isso só decide mostrar seus poderes na luta contra Apocalypse. Ainda assim, se eu tivesse o laço da verdade, não ficaria esperando Bruce Wayne roubar as informações de Luthor através do PC. Usa o laço, mulher!

A foto antiga da Mulher Maravilha em BvS mostra Chris Pine, que será Steve Trevor, durante a Primeira Guerra Mundial, período em que se passa a história do filme da Mulher-Maravilha. Nesta semana divulgaram a foto de Diana, ao lado de Hipólita e mais duas amazonas do filme (uma delas provavelmente será Ártemis – que já foi a Mulher-Maravilha durante um tempo – interpretada pela diva Robin Wright), deixando todos ainda mais ansiosos.

BvS Affleck

Batman é o meu herói favorito e por isso acho que eu tenho dificuldade de aceitar Bem Affleck no papel. Em BvS que temos Mulher-Maravilha, Superman, Lex Luthor, Apocalypse, até Alfred consegue um destaque mais significativo do que nosso morcego de Gotham. Affleck é um ator mediano e pouco expressivo.

Ok, ele usa o uniforme do morcego em 70% do filme, mas ainda assim acho um ator discutível para o papel. Neste filme alguém citaria Batman como uma das melhores partes do filme? Obviamente que nos filmes solo, irão depender novamente da atuação do vilão (Jared Leto, por exemplo) para manter a trama interessante, pois do Ben não podemos esperar muita coisa. Tá gostoso, tá sarado, mas deem um espelho para esse menino treinar expressão, pelamor.

O Apocalypse do filme teve uma mudança em relação aos quadrinhos. Foi criado por Luthor através do corpo de Zod. Sem problemas. Acho que a DC poderia ter mantido Apocalypse em segredo e não ter exibido no trailer. Imagina o quão surpreendente seria se visse o monstro emergindo? A luta entre Apocalypse, Superman e Mulher-Maravilha foi inspirada no arco Superman – Condenado (2014) dos Novos 52, utilizando da premissa de que o vilão é imortal e evolui com a destruição.

Só fiquei preocupado com o povo de Metrópolis, afinal depois da destruição com a luta com Zod, uma luta dessas que destruiu, tipo 90% da cidade? Façam as malas pessoal. Já passou da hora de saírem dessa cidade.

BvS DK

O filme é inspirado como disse anteriormente em Cavaleiro das Trevas, de Frank Miller. Uma das coisas que Miller utiliza bastante em suas HQs, são as cenas mostrando como situações são abordadas pelo jornalismo e pela mídia, seja para manipular a opinião pública, seja para desviá-la. Cenas sobre a discussão sobre se o Superman é perigoso para a humanidade e se o Morcego deveria continuar na ativa, são referências ao mestre Miller. A luta entre Batman e Superman foi uma das cenas que marcou essa HQ clássica.

BvS Flash

Na cena em que Flash tenta alertar Bruce sobre o futuro é uma referência notória à Injustice, game que virou HQ, onde após Lois Lane ser morta Superman surta e se torna um tirano no mundo. “Lois Lane é chave para tudo” e “Você estava certo o tempo todo sobre ele”, são frases de Barry Allen que remetem a trama sobre um futuro apocalíptico caso Kal-El visse a morte de sua amada. Na cena, a armadura que o Flash está utilizando é parecida com um dos trajes disponível no jogo.

BvS Darkseid

No sonho de Bruce, no deserto, criaturas parecidas com insetos são vistas com uma espécie de traje de contenção. São bem semelhantes as criaturas de Apokolips, que acompanham Darkseid.

BvS Ciborgue

Ciborgue (membro dos Novos Titãs, mas que tentam encaixá-lo na LJA há tempos) tem sua aparição em BvS de forma bem rápida, mas dá pra notar no canto do vídeo que acontece no S.T.A.R. Labs. Sua origem é muito parecida com o que acontece na animação Liga da Justiça: Guerra. Aliás, esta animação pode ser forte influência para os filmes da LJA que trará Darkside.

Henry Cavill está mais preparado neste filme e sua atuação como Kal-El está mais convincente. Apesar do personagem não ter muito o que desenvolver, esta história sobre utilizar ou não seus poderes para ajudar a humanidade já havia sido (exaustivamente) em Homem de Aço. Já deu né? Espero que enterrem estas “reflexões” junto com o caixão do Super.

BvS Mulheres

As HQs contam com pouquíssimas personagens femininas e acho que poderiam colocar mais personagens femininas no universo cinematográfico da DC. Temos a grande Barda, a Mulher Gavião (ok, ela já está na série LoT, mas Flash também), Caçadora, Zatana, todas que já fizeram ou fazem parte da LJA e que poderiam entrar no time dos cinemas. Isso talvez colocasse Lois Lane como jornalista e não mais como heroína nas horas vagas.

BvS Briggs

Pude assistir as duas versões do filme, legendada e dublada, e a versão brasileira ficou ótima. Um parabéns especial para Guilherme Briggs, voz do super nas animações, no game Injustice e nos filmes, que faz um ótimo trabalho.

BvS Cavill

Cavill aparece em uma cena só de toalha cozinhando. Não tem referência nenhuma, só queria deixar isso registrado, pois é uma das melhores cenas do filme.

O universo cinematográfico estendido dos super-heróis da DC Comics teve início! Antes de começar, gostaria de deixar claro que não sou um crítico especializado em cinema. Sou um fã. Um nerd. Por isso, irão me perdoar caso não faça críticas sobre o roteiro e qualquer outra balela que seria analisada por uma academia com a “alta cúpula” de críticos. Batman Vs Superman é para os fãs. Fãs de Batman, Superman, Mulher-Maravilha, DC Comics. Após sair da terceira sessão do cinema, ainda me senti maravilhado com tudo que assisti e emocionado. Mas isso porque sou fã de carteirinha da DC Comics…

Batman V Superman

Filme

Nota

O filme é um prólogo para Liga da Justiça, por este motivo é no mínimo injusto achar que Batman Vs Superman seria a obra-prima da DC nos cinemas. Não é. Acredito que seja uma boa etapa para Snyder e o elenco perceberem o que funcionou e o que não deve continuar nos próximos filmes.

User Rating: 2.73 ( 4 votes)

Sobre Michel Furquim

Psicólogo, pós-graduando em Sexualidade Humana. Curioso e pesquisador nas áreas de sexualidade e relacionamentos. Aficionado pelo universo nerd, em especial HQs e Mangás.

Veja Também

Crítica|Linn da Quebrada – Pajubá (2017)

Bicha, trans, preta e periférica. Nem ator, nem atriz, atroz. Bailarinx, performer e terrorista de …

  • yuri

    Eu podia casar com você, serião! Acho que essa foi uma das melhores criticas sobre BvS que eu li, assim como você gosto bastante da narrativa do Zack Snyder, acho que ele tenta passar um ar de grandiosidade nos filme dele e eu adoro isso. Acho que boa parte das pessoas não curtiu o filme pois se acostumou muito com o modus operandi Disney/Marvel (teve gente que ficou esperando cena pós credito na minha seção kkk). Acho que a DC/Warner está tentando colocar sua marca nos filme de heróis e para isso eles tem que ser o mais original possível. Sobre tu não ter curtido o Ben, olha é muito de gosto mesmo, eu adorei o cara, ele mostra um Batman, velho, cansado e puto e eu achei tudo foda, as lutas, o batmovel, as armas TUDO. Gal Gadot foi sem duvidas uma das melhores coisas do filme, quando eu assisti ela em velozes e furiosos eu pensei: Nossa ela não vai dar conta mas, ela em BvS, tomava conta de toda a cena e mesmo não estando usando os trajes passava um ar de imponência e elegância, sem contar que a cena em que ela cai, vira e dá um sorriso, já se tornou icônica para mim. Quanto ao Superman, só gosto da raba mesmo, tava legalzinho. BvS para mim foi um filme feito de fã para fã.

    • Michel Furquim

      Assino embaixo em tudo o que você disse. Meu problema com o Affleck é que as cenas de luta não são ele, a cena de Batmóvel não é ele… Ou seja, as melhores cenas do Batman não eram com ele. Abraço!

  • Rodrigo Cardoso

    Os fãs amam a critica não. O Universo da DC será polêmico do primeiro ao ultimo filme. Gosto Assim. Continua DC o/

    • Michel Furquim

      Vamo fazendo DC! 😉

  • Diogo Miranda

    Eu tô apaixonado por esse filme. Mais do que grande cenas eu consegui sentir a imponencia e o medo de se ter super heróis no mundo. Amei.
    PS: Casa comigo tb Michel! Rs

    • Michel Furquim

      Já assisti três vezes e quero mais! Verdade, Diogo, também senti o mesmo.
      PS: casar eu não posso, meu namorido não deixa rsrs 😉