Página Inicial / Diários de um Nerd / Sense8, The Get Down e o Futuro da Netflix

Sense8, The Get Down e o Futuro da Netflix

O cancelamento da série foi anunciado no dia 01 de junho e repercutiu em diversos sites, o assunto reverberou tanto na internet que algumas pessoas chegaram até mesmo a marcar uma “pegação coletiva” em protesto ao anuncio da Netflix. Realmente é triste ver que uma serie tão amada pelo público tenha chegado ao seu fim, mas precisamos racionalizar um pouco sobre os sinais que apareceram durante a segunda temporada e os eventos que já davam indícios sobre o fim de Sense8.

A segunda temporada começou bem, abrindo caminho para que novos mistérios fossem explorados, inclusive falamos um pouco sobre isso na nossa crítica sobre o episódio intitulado como “Who am I?”. Mesmo tendo alguns acontecimentos importantes revelados no trailer, como por exemplo, outros sensates, existem em alguns momentos a sensação de que aquele universo que nos foi apresentado na primeira temporada está se expandindo um pouco rápido demais.

Entretanto o foco nas histórias individuais dos personagens principais faz com que os menos atentos não percebam que talvez nessa segunda temporada estivesse acontecendo uma corrida contra o tempo, porém o último episódio é tão intenso e com tantos acontecimentos impactantes, que deixou todos com a sensação de que ainda haviam mais a ser assistido. Tanto é estranho que eu fiquei incrédulo quando notei que a Netflix estava sugerindo que eu retornasse a primeira temporada da série sendo que eu sequer tinha terminado de assistir a segunda. Por alguns momentos até achei que fosse algum engano, até conferir a lista de episódios. Esse gancho enorme me causou indignação, mas me trouxe uma certeza quase absoluta de que a série seria renovada para uma terceira temporada ou talvez até para mais devido a quantidade de histórias que poderiam ser contadas a partir daquele momento, mas infelizmente os primeiros sinais de que as coisas não estavam indo muito bem começaram a aparecer.

Tudo começou com uma fala do produtor Roberto Malerba, sobre o fato da Lana Wachowski ficar responsável pela parte artística da série praticamente sozinha enquanto sua irmã, Lilly, finaliza seu processo de transição e também pela grande complexidade e pelos altos custos da série:

“Provavelmente a terceira temporada será a última, em função da natureza complexa da série e porque Lana é responsável pela parte artística praticamente sozinha, o que não é uma coisa simples. Na primeira temporada, ela tinha sua irmã [Lilly] ao seu lado, mas Lilly agora está finalizando seu processo de transição e, por conta disso está ocupada. No entanto, Lana já está escrevendo a terceira temporada para estar pronta caso seja renovada. ”

Até esse momento ainda havia uma esperança, mas outro sinal foi quando o ator Brian J. Smith em uma conversa pelo Twitter publicou a seguinte resposta em uma conversa:

“Talvez essa seja a hora de vocês (fãs) começarem a fazer algum barulho”.

Algumas pessoas (eu me incluo nelas) não acreditavam no cancelamento de uma série que faz tanto sucesso e que movimentava as redes sociais. Além disso é comum que a Netflix as vezes demore um pouco para anunciar a renovação de algumas séries do seu catálogo, mas precisamos lembrar que além dos pronunciamentos anteriores outra série também cancelada foi The Get Down, que teve problemas durante a sua produção, explicando porque que sua temporada foi dividida em duas partes, com a segunda revelando aspectos que diminuíram a sua qualidade.

O que entristece ainda mais é perceber que perdemos duas séries que tinham em suas histórias personagens representativos, The Get Down além de ter um grande elenco negro, mexicano e dos guetos dos EUA, também falava sobre um outro lado da música. A série falava sobre o embranquecimento da cultura negra e também deu os devidos créditos a comunidade gay no mercado musical e falou sobre a sua importância para o desenvolvimento desse setor. The Get Down infelizmente não alcançou o mesmo patamar que Sense8 e devido a isso, e também a outros fatores, seu cancelamento não movimentou tanto a internet.

E por falar em internet é preciso falar sobre toda a comoção em volta desse cancelamento. Já tem petição pedindo esclarecimentos do serviço de streaming e pegação coletiva a ser feita no vão do MASP no dia 04 de Junho, para protestar. Porém como foi dito no início do texto, precisamos deixar um pouco o fanatismo de lado e pensar um pouco mais racionalmente. Apesar da Netflix ter feito a alegria de muitos fãs trazendo algumas series de volta e ao produzir outras que não assistiríamos nos canais convencionais, ainda é preciso lembrar que o canal de streaming é uma empresa e que preza pelo lucro. O fato de não divulgar os números da sua audiência não quer dizer que ela não importe, tanto que o ator Brian J. Smith deixou isso claro em um dos seus tweets:

“Vocês estão lutando bravamente. Estamos escutando e tem sido muito emocionante, mas não havia audiência o suficiente e é caro produzir a série. ”

Vamos parar para pensar que a Netflix trabalha com algoritmos e análise de dados, portanto eles sabem muito bem em quais series vale a pena investir para atingir um maior público, para conseguir novos assinantes e é claro para ganha mais dinheiro. O canal inclusive vem sofrendo algumas modificações em sua aparência e na forma de avaliação das séries, basta observar que agora você não se dá mais estrelinhas para qualificar o conteúdo que gostou e sim um “joinha” positivo ou negativo.

Em algum momento a Netflix percebeu que mesmo com a grande número de fãs Sense8 não era lucrativa e nós por estarmos fechados em nossas bolhas estávamos achando que tudo estava muito bem, afinal os memes do Facebook pareciam indicar que Sense8 duraria para sempre. Conforme a empresa cresce, mais lucros ela visa, e é preciso se preparar para novos cancelamentos, pois esse é um dos objetivos da Netflix daqui para frente, conforme fala do CEO e co-fundador da empresa Reed Hastings:

“Nossa taxa de sucesso está muito alta agora. Então cancelamos poucas séries. Eu sempre falo para a equipe de conteúdo que precisamos arriscar mais, tentar coisas mais loucas, porque nós deveríamos ter uma taxa de cancelamentos mais alta no geral. ”

Pode parecer um pouco alarmante o fato de muitas series do canal começarem a serem canceladas, porém é interessante perceber na fala de Reed que o canal tem como intenção inovar e tentar coisas loucas. E gostaria de deixar uma questão, será que o universo Marvel/Netflix está envolvido nessas coisas que eles vão tentar fazer ou será que teremos alguns cancelamentos também nessa categoria? Deixem suas opiniões nos comentários e caso participem do protesto registrem esse momento e nos envie por aqui, no grupo do Facebook ou nas nossas redes sociais.

Sobre Angresson da Silva

Nascido em 88, ariano, meio diferentão devido ao ascendente em aquário e que adora conhecer novos animes, mangás, HQ's, jogos, filmes e séries, sempre se preocupando com a representatividade em todas essas mídias. Ainda não formado, mas gosta de escrever suas opiniões e se auto intitula um Nerd Fajuto por não se identificar com os padrões de muitos Nerds.

Veja Também

Pela primeira vez na história “The” Doctor de Doctor Who será uma mulher, mas a luta continua

16 de Julho de 2017 e em um vídeo a BBC revelou a identidade da …