Página Inicial / Resenha e Crítica / Crítica - Quadrinhos / Crítica|Deuses Americanos (Livro)

Crítica|Deuses Americanos (Livro)

Deuses Americanos foi publicado pela primeira vez no ano de 2001 e recentemente recebeu uma versão atualizada e preferida do autor Neil Gaiman, ele inclusive explica o processo para criação da história e de edição numa rápida introdução antes do primeiro capítulo. A obra recebeu no ano de 2017 um seriado exibido pelo canal Starz e eu recomendo que ambos os conteúdos sejam consumidos quase em conjunto, pois os diferentes elementos dessas mídias conversam muito bem entre si e torna a experiencia ainda mais divertida.

A história se inicia quando Shadow, que está prestes a sair da prisão, recebe a notícia da morte de sua esposa e por isso ele será liberado antecipadamente, no percurso de retorno para casa ele conhece Wednesday e durante uma conversa estranha o homem lhe faz a proposta de realizar alguns serviços que inicialmente não são muito claros, pode parecer pouco, mas isso é tudo que você precisa saber sobre o enredo principal para iniciar essa jornada literária/televisiva, portanto não pretendo contar muito além disso por que maiores detalhes podem ser spoilers sobre andamento da história então vou me ater apenas a algumas coisas que chamaram a minha atenção e que não irão influenciarão muito na leitura do livro.

Desde o início o protagonista é bastante apático, não possui muito carisma e parece apenas responder automaticamente aos eventos que acontecem ao seu redor, em alguns momentos chega a incomodar a falta de percepção sobre o que está acontecendo, a burrice do Shadow é tão irritante que inclusive é citada por alguns deuses, a dificuldade dele em perceber a magia envolvendo sua jornada cega o leitor para os pequenos detalhes e quando as respostas são dadas fica aquela sensação de ter sido tão tolo quanto ele, mas mesmo assim você se surpreende e se duvidar ainda vai estar com um sorriso em seu rosto ao perceber que esteve alheio a coisas tão importantes que foram praticamente jogadas na sua cara. A falta de atitude do personagem é bem equilibrada com os momentos onde somos apresentados aos deuses e em toda a atmosfera em volta deles, é principalmente nesses pontos que o autor realiza um ótimo trabalho, inclusive um dos detalhes mais interessantes é o fato de subverter aquela visão comum de seres cósmicos, superpoderosos e capazes de realizar feitos fantásticos pois coloca as divindades como criaturas tão humanas como os seus adoradores.

Quando o protagonista não é a peça principal da narrativa somos convidados a conhecer um pouco mais sobre como os deuses de diversos outros lugares do mundo desembarcaram nos Estados Unidos através da perspectiva dos seus devotos, inclusive vale destacar que existe uma profundidade tão grande nesses outros personagens que provavelmente seria possível desenvolver uma série de outras histórias a partir deles, porém a que mais me cativou e manteve a minha atenção foi a trajetória dos irmãos gêmeos retirados da sua terra natal a força para virarem escravos na américa, inclusive esse é um dos capítulos que gostaria muito de ver adaptado na série junto com Ibis e Jacal, a sua empresa e na sua participação tímida, mas muito importante na vida de Shadow.

E por último, mas não menos importante, se você espera uma batalha final megalomaníaca e recheada com momentos de ação e lutas superpoderosas então é bom baixar as suas expectativas, pois essa história do Gaiman constrói a sensação de que a tempestade será marcada por uma batalha digna de filmes hollywoodianos, mas toda a grandiosidade reside justamente em manter os pés no chão e na simplicidade ao lidar com ícones tão grandiosos quanto deuses.

Deuses Americanos foi publicado pela primeira vez no ano de 2001 e recentemente recebeu uma versão atualizada e preferida do autor Neil Gaiman, ele inclusive explica o processo para criação da história e de edição numa rápida introdução antes do primeiro capítulo. A obra recebeu no ano de 2017 um seriado exibido pelo canal Starz e eu recomendo que ambos os conteúdos sejam consumidos quase em conjunto, pois os diferentes elementos dessas mídias conversam muito bem entre si e torna a experiencia ainda mais divertida. A história se inicia quando Shadow, que está prestes a sair da prisão, recebe a…

Deuses Americanos

Livro

Nota

A obra recebeu no ano de 2017 um seriado exibido pelo canal Starz e eu recomendo que ambos os conteúdos sejam consumidos quase em conjunto, pois os diferentes elementos dessas mídias conversam muito bem entre si e torna a experiencia ainda mais divertida.

User Rating: Be the first one !

Sobre Angresson da Silva

Nascido em 88, ariano, meio diferentão devido ao ascendente em aquário e que adora conhecer novos animes, mangás, HQ's, jogos, filmes e séries, sempre se preocupando com a representatividade em todas essas mídias. Ainda não formado, mas gosta de escrever suas opiniões e se auto intitula um Nerd Fajuto por não se identificar com os padrões de muitos Nerds.

Veja Também

Crítica|Linn da Quebrada – Pajubá (2017)

Bicha, trans, preta e periférica. Nem ator, nem atriz, atroz. Bailarinx, performer e terrorista de …