Página Inicial / Resenha e Crítica / Crítica - Série / Crítica | Preacher 2.07&08 – Pig & Holes

Crítica | Preacher 2.07&08 – Pig & Holes

Passamos da metade da segunda temporada de Preacher e o ritmo novamente parece ter diminuído, seja para apresentar o antagonista que já havíamos conhecido em Damsels, ou para aprofundar um pouco mais nas questões morais de cada personagem.

O foco do sétimo episódio, Pig, é Herr Starr (Pip Torrens) e como este se tornou o líder da organização O Graal, responsável por proteger a linhagem de Jesus. O “processo seletivo” e o treino pelo qual Starr é submetido é uma das melhores cenas do episódio, transformando o careca em um daqueles “vilões” icônicos de séries e que muita gente vai adorar torcer. Ao mesmo tempo que o jeito badass cativa, também incomoda em um certo nível, pois parece mais cômico do que intimidador.

Uma grande dúvida surgiu aqui: será que Pip Torrens realmente colocou piercings nos mamilos (e a corrente) para interpretar Starr? De qualquer forma, a maquiagem do personagem está perfeita, sendo uma das melhores adaptações de personagem das HQs para a telinha.

A rápida ascensão de Herr Starr dentro de O Graal também deixam alguns pontos sem nó, como por exemplo, por que ele continuaria a ideologia da organização sendo que agora ele é o líder absoluto? Ou, como ele sabe quais são os projetos em andamento, já que ele é um “recém chegado” e eliminou praticamente todos os superiores?

Neste mesmo episódio, como já havíamos suspeitado em Sokosha, percebemos que o toque do Santo dos Assassinos em Tulipa casou algum efeito. A moça agora sofre pesadelos e busca de alguma forma vivenciar o perigo e a morte. Certamente isso será um fator importante em seu relacionamento com Jesse, que já estava bem abalado.

Jesse também está sofrendo as consequências da venda de 1% de sua alma. Aqui em Pig, o Pastor se questiona sobre o fim do mundo e como isso pode estar relacionado ao desaparecimento de Deus. Se o mundo acabaria apenas quando porcos voassem, então já sabemos que o mundo está cada vez mais próximo.

Herr Starr e O Graal são responsáveis por eliminar e encobrir profetas e profecias, que são vistos pela organização como uma ameça a linhagem de Cristo. E um Pastor com o poder da voz de Deus certamente é algo que O Graal terá que se livrar. Na visita ao Vietnã, Starr mostra que para impedir a propagação de outros símbolos que possam atrapalhar a imagem de Cristo e sua linhagem, qualquer coisa será feita.

A conversa entre o Pastor e o morador de rua de Nova Orleans foi algo bastante simbólico, sobre o fim do mundo e todos os sinais que aparecem a todo momento, mas que a humanidade insiste em ignorar. Ou são sempre encobertos ou omitidos por instituições com interesses suspeitos.

Holes nos leva de volta ao Inferno, ao plot de Eugene. O Cara-de-Cu agora está bombadinho e cheio de tatuagens, na tentativa de enganar seus carcereiros de que ele é uma pessoa que merece estar lá. Este é um dos quadros que pouco ou nada caminhou até aqui, dando pistas de que a saída de Eugene do Inferno se arrastará até a season finale desta temporada. A única novidade aqui é que descobrimos finalmente o que tem no alçapão. Esperávamos lava ou fogo, porém é só mais um quarto com as lembranças mais atormentadoras do sujeito que está preso ali.

Ao que parece, Eugene irá se aliar a Hitler para escapar do Inferno e retornar ao mundo dos vivos, afinal o Führer já disse que andou por todo o submundo e conhece muito bem aquele lugar. Sabendo que o Cara-de-Cu não foi um amigo muito leal do ditador alemão, é bem possível que nosso garoto Eugene tenha problemas na sua tentativa de fuga. Vamos aguardar.

Jesse está em sua busca por mais informações que levem ao paradeiro do Todo Poderoso, porém sem sucesso até aqui. A única pista aparentemente é o DVD que o Pastor tem em mãos, porém muitas dicas aparecem por quase todo o episódio sem Custer perceber.

Interessante citar que enquanto o Santo dos Assassinos estava caçando a tríade nos primeiros episódios da temporada, Jesse utilizava o poder de Gênesis sempre, denunciando sua localização para o cowboy do Inferno. Mas agora que se livraram do Santo, o Pastor não utilizou nenhuma vez a voz de Deus, sendo que isso poderia ajudar na busca.

Já dissemos aqui que Cassidy é o personagem mais humanizado do trio protagonista, e nestes três últimos episódios sua relação com seu filho Denis está sendo sua maior preocupação. Denis deseja também se tornar vampiro, para assim se curar de sua doença, algo que Cassidy é contra. Porém, em neste oitava episódio percebemos que o coração do vampiro (?) falará mais alto e, apesar de seu amigo o alertar pelo telefone, Cassidy irá transformar seu filho em um imortal. Certamente isso vai trazer mais problemas para Jesse, Tulipa e o próprio Cassidy.

Preacher diminuiu seu ritmo consideravelmente e estacionou suas tramas principais. Isso é uma pena, afinal faz com que muitos espectadores percam o interesse na história, como ocorreu na temporada anterior. Porém, sabendo que a produção não pretende encerrar está temporada de um jeito morno – até mesmo para assegurar uma terceira temporada – acredito que os últimos cinco episódios restantes trarão reviravoltas e alguma ação.

A série voltou a se aproximar dos quadrinhos, porém muito mais em sua estética e enredo do que no ritmo e na violência. Isso pode se tornar um problema, afinal o sucesso que o seriado teve até aqui foi graças ao distanciamento da obra original, com uma atmosfera própria. Vamos torcer para que o Pastor não se torne mais uma série esquecível.

Passamos da metade da segunda temporada de Preacher e o ritmo novamente parece ter diminuído, seja para apresentar o antagonista que já havíamos conhecido em Damsels, ou para aprofundar um pouco mais nas questões morais de cada personagem. O foco do sétimo episódio, Pig, é Herr Starr (Pip Torrens) e como este se tornou o líder da organização O Graal, responsável por proteger a linhagem de Jesus. O "processo seletivo" e o treino pelo qual Starr é submetido é uma das melhores cenas do episódio, transformando o careca em um daqueles "vilões" icônicos de séries e que muita gente vai…

Preacher

07 & 08 - Pig & Holes

Nota

O ritmo diminuiu e a trama estacionou, fazendo com que estes dois últimos episódios de Preacher não apresentassem nada de novo à história.

User Rating: Be the first one !

Sobre Michel Furquim

Psicólogo, pós-graduando em Sexualidade Humana. Curioso e pesquisador nas áreas de sexualidade e relacionamentos. Aficionado pelo universo nerd, em especial HQs e Mangás.

Veja Também

Crítica|Linn da Quebrada – Pajubá (2017)

Bicha, trans, preta e periférica. Nem ator, nem atriz, atroz. Bailarinx, performer e terrorista de …