Página Inicial / Especial / Especial|Explorando as possíveis tramas da série ambientada no universo de Senhor dos Anéis, da Amazon Prime

Especial|Explorando as possíveis tramas da série ambientada no universo de Senhor dos Anéis, da Amazon Prime

Série baseada no livro O Senhor dos Anéis, de J.R.R. Tolkien está sendo desenvolvida pela Amazon Studios. O serviço de streaming anunciou nesta segunda-feira (13) que adquiriu os direitos da adaptação televisiva da obra para uma produção de várias temporadas. 

A série original será produzida pela Amazon Studios em parceria com a Tolkien Estate and Trust, a editora HarperCollins e a New Line Cinema, divisão da Warner Bros. responsável pelos franquia de filmes de O Senhor dos Anéis. Situada na Terra Média, a trama vai explorar novas histórias que precedem A Sociedade do Anel.

“Estamos muito satisfeitos que a Amazon, com seu compromisso de longa data com a literatura, ser sede da primeira série de televisão multi-temporada de O Senhor dos Anéis”, disse Matt Galsor, representante da Tolkien Estate and Trust e HarperCollins. “Sharon e a equipe da Amazon Studios têm ideias excepcionais para trazer para a tela histórias previamente inexploradas com base nas obras originais de J.R.R. Tolkien.”

Pensando nas inúmeras possibilidades e deixando de lado o Silmarillion, que aparentemente não entrou no pacote negociado pela Amazon, separamos um especial com dicas e possíveis tramas para a série e suas derivadas.

1 – Fazer uso dos magos azuis

Os istari, conhecidos como os magos da Terra Média, foram enviados da terra imortal para auxiliar os homens em sua batalha contra as trevas. Ao todo 5 desta raça chegaram na Terra Média, mas apenas 3 foram apresentados entre Senhor dos Anéis e o Hobbit. Radagast, o castanho, Saruman, o branco (de muitas cores) e Gandalf, o cinza. Outros dois, porém, não chegaram a ser citados e são mencionados como “paradeiro incerto”. Os dois azuis, ou apenas um deles, poderia ser usado pela série da Amazon para incluir uma conexão que Tolkien nunca fez questão de colocar em sua obra e garantir o uso da magia e um velhinho (ou dois) com muita sabedoria. 

2 – Explorar os guardiões e os homens da linhagem de Númenor

Do relacionamento entre a elfa Elwing e o humano Eärendil nasceram dois gêmeos, Elrond e Elros. Como nunca antes havia acontecido algo do tipo, os Valar (espécie de deuses criados por Tolkien) deram uma escolha para cada uma das crianças, viver como homem e ter a vida reduzida, com futuro incerto após a morte, ou como elfo, imortais, e irem para os Salões de Mandos após o fim de suas vidas. Elrond, pai de Arwen e interpretado por Hugo Weaving, escolheu a imortalidade. Já Elros decidiu que seria homem. Dele veio a linhagem de vida longa, de Númenor. Estes se tornaram guardiões e juraram combater Sauron, o senhor do escuro e responsável pela destruição da ilha em que viviam. A série não deverá conseguir desenvolver Númenor, pois é algo conectado ao Silmarilion, porém ela poderá fazer uso dos guardiões para contar sua história, conectando-os ao passado trágico e também a seu grau de parentesco com Elrond e os elfos de Rivendell. 

3 – Explorar os elfos da Floresta das Trevas e sua relação com os anões

Elfos são criaturas imortais, poderosas e cheias de dons surpreendentes, mas eles também são incrivelmente preconceituosos e com delírios de grandeza. Fazer uma série do Senhor dos Anéis e não usar elfos é um grande erro. Então que tal utilizar algum vassalo do rei Thranduil para explorar mais da animosidade entre elfos e anões, além das diversas batalhas que eles já tiveram? Com certeza trabalhar mais da dualidade dos elfos e a desconstrução da raça que também cometeu vários erros será um acerto para a produção da Amazon. Queremos elfos temperamentais, de gênio forte, como Fëanor e seus filhos… 

4 – Incluir Rohan e talvez um jovem Théoden

Para fazer a ponte perfeita entre filmes e série, Senhor dos Anéis da Amazon precisará colocar alguns nomes conhecidos. No começo de As Duas Torres fomos apresentados a Théoden, rei de Rohan, possuído por Saruman. Mas sabe o que também seria ótimo? Tê-lo mais jovem, ainda em sua época de batalhas e guerras contra orcs, outros homens e quem sabe um pouco da lenda dos Ents. Inserir Rohan também permitiria revisitar o Abismo de Helms e a relação entre rei, sua futura esposa, os sobrinhos e Grima, língua de cobra. 

5 – Inserir os anéis de poder

“Três Anéis para os Reis-Elfos sob este céu. Sete para os Senhores-Anões em seus rochosos corredores. Nove para os Homens Mortais fadados ao eterno sono. Um para o Senhor do Escuro em seu escuro trono”.

Trabalhar o Senhor dos Anéis e não incluir nenhum anel é quase inconcebível. Para tal, temos vários anéis de poder para trabalhar durante a série. Narya, o Anel do Fogo, ostentava um rubi; Nenya, o Anel da Água, ou Anel Adamantino, era feito de Mithril e ornado com uma “pedra branca”, possivelmente o diamante, como sugere o nome; e Vilya, ou Wilya, o Anel do Ar, o mais poderoso dos Três, era de ouro e ostentava uma safira. Elrond usava o Vilya em Valfenda, Nenya era usado por Galadriel em Lothlórien e Círdan usava o Narya nos Portos Cinzentos.  Futuramente Galdaf recebeu de Círdan o anel Narya. Existe muita história por trás dos portadores dos anéis de poder, inclusive o mago Gandalf chegou a revelar no concilio de Elrond que o anão Thráin II foi capturado e torturado por Sauron, por ser um portador de um dos sete anéis dados aos anões. 

6 – Usar elementos dos jogos

Senhor dos Anéis tem uma quantidade absurda de jogos ambientados neste mundo criado por Tolkien. O últimos, Sombras de Mordor e Sombras da Guerra, trabalham o envolvimento de Tallion com Celebrimbor, o criador dos anéis de poder. A série poderia fazer uso de características do jogo, como o envolvimento do espectro, ou até mesmo a sensação de um poder usado para controlar orcs, rever memórias em objetos das mais diversas épocas. Material para tal, existe. 

7 – Trilha sonora e lugares, vem Nova Zelândia 

A Nova Zelândia, usada para as gravações de O Senhor dos Anéis e O Hobbit, carrega a imagem das duas trilogias. Falar em Lord of The Rings sem falar de Nova Zelândia é impossível. Locações maravilhosas, tomadas aéreas de tirar o fôlego… Para que a série funcione, será preciso gastar uma grana com esses espaços maravilhosos. Quem também não pode ficar de fora é a trilha sonora da franquia, já tão conhecida hoje. 

E aí, o que você acha que não poderá faltar na série de Senhor dos Anéis? Não deixe de comentar e fique olho no Gay Nerd Brasil para mais especiais como este e outras informações do mundo fantástico de Tolkien. 

 

Sobre Diego Antunes

Fundador do site, também colabora com postagens para o Série Maníacos com reviews de séries. Nutre um amor incondicional pela Marvel e é leitor ferrenho dos quadrinhos da casa das idéias desde os 12 anos de idade.

Veja Também

Crítica|Filme – Liga da Justiça

O universo expandido da DC ganhou mais um capítulo, trazendo a maior equipe de super-heróis …